Melhores Práticas para Plano de Contas Financeiro

Plano de Contas - Valor Futuro

O plano de contas gerencial é o caminho mais importante para a correta visualização das receitas e despesas numa empresa. Entretanto, não são tão simples de definir quais serão as contas a serem trabalhadas pelos sócios e gestor financeiro, é necessária a consulta de especialistas no assunto para um diagnóstico das rotinas financeiras para se criar um efetivo plano de contas financeiro gerencial.

Um plano de contas é um conjunto de descrições com grupos e subgrupos das origens das receitas e despesas. Que tem como objetivo, criar uma lógica na organização e análise dos dados. Sem ele, você simplesmente iria inserir entradas e saídas sem saber a sua origem ou uso. Estruturar o plano de contas gerencial é o primeiro passo na implementação de um sistema de gestão financeiro profissional.

É importante salientar que o plano de contas gerencial é diferente do plano de contas contábil. Este último é feito pelo contador para estruturar o balanço patrimonial da empresa com regras internacionais e legislação apropriada ao uso. Enquanto o primeiro é utilizado com foco para atingir uma ótima estrutura do fluxo de caixa e demonstrativo de resultado de exercício gerencial (DRE Gerencial).

Geralmente, gostamos de fazer o plano de contas colocando as receitas na parte de cima e os custos/despesas na parte de baixo e, por fim, o resultado final. Vejamos um exemplo de plano de contas:

 

Entradas:

111 Receitas de vendas à vista dinheiro

112 Receitas de vendas à vista cartão

121 Receitas de empréstimos bancários (contratação de crédito)

122 Receitas de empréstimos bancários (desconto de títulos)

123 Receitas de empréstimos bancários (cheque especial)

124 Receitas de empréstimos dos sócios

125 Receitas de empréstimos de terceiros

131 Receitas de aplicações financeiras de curto prazo

132 Receitas de aplicações financeiras de longo prazo

141 Receitas de Juros e Multas

 

Despesas:

211 Pagamento de fornecedores à vista

212 Pagamento de fornecedores a prazo

213 Pagamento de fretes nas compras

221 Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ)

222 Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)

223 PIS

224 Cofins

225 Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS)

226 Simples

227 Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)

228 Imposto Sobre Serviços (ISS)

231 Comissões

232 Propaganda

233 Fretes sobre as vendas

241 Hospedagem

242 Relatório de despesas da viagem

251 Salário

252 INSS

253 FGTS

254 13º Salário

255 Férias

256 Benefícios (vale-transporte, refeição,assistência médica)

257 Pró-labore

261 Combustível

262 Documentação (IPVA, Licenciamento e seguros)

263 Manutenção

271 Aluguel (geralmente já acrescido do IPTU)

272 Telefone, água, luz, correios

273 Manutenção predial

274 Alvarás ou taxas de funcionamento

275 Contabilidade

276 Associações e sindicatos patronais

277 Táxi e Uber

278 Provedor de acesso Internet

281 Pagamento de empréstimos bancários

282 Pagamento ou diminuição do saldo do cheque especial

283 Pagamento de empréstimos dos sócios

287 Pagamento de despesas bancárias

291 Pagamento de Juros/Multas

 

Lembre-se sempre que na hora de criar seu plano de contas, deve-se levar em consideração o nível de controle. Por exemplo, se há algum custo muito pequeno, mas que dá muito trabalho de contabilizar, é melhor não se preocupar com ele, pois se consegue agrupá-lo em outra conta semelhante.

Um bom plano de contas é aquele que atende as rotinas. Muitas das contas acima não são utilizadas e podem, portanto ser suprimidas dependendo do porte empresarial. Outras, no entanto devem ser incluídas para que os sócios ou gestores possam visualizar de forma rápida a receita ou despesa e tomar decisões baseadas em fatos de dados.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Como podemos ajudar?

Se a sua empresa passa por alguma dificuldade que influencia no seu resultado, fale conosco, nós podemos ajudar!

Categorias

Últimas Postagens: